quarta-feira, 19 de abril de 2017

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

terça-feira, 3 de maio de 2016

GRANDE NADA


                                                                 O NÃO EXISTIR

         O físico teórico nuclear francês Jean Emille Charon, um dos responsáveis pelo programa nuclear da França, em sua obra "O Espírito Esse  Desconhecido", diz que o espírito é um elétron um elétron pensante, ou seja, cada um de nós tem um elétron que pensa. Na verdade nós (a nossa identidade) somos somente um elétron que pensa, nada mais; o resto é apenas uma locomotiva que não pensa.        
        Porém Jack London fala que a locomotiva não pensa, mas vive para comer e come para continuar vive,ndo e só. Um dia para de comer e morre. Vive em função do estômago. 
             Nós somos uma locomotiva que nãopensa, mas é comandada por um elétron pensante
            Fritz Kann, estudioso alemão, em sua obra "O Átomo", disse e as teorias atômicas modernas confirmam que o minúsculo átomo é tão pequeno que se desde o ano zero de Nosso Senhor Jesus Cristo, Aquele da lenda, contássemos átomos,  a média de um por segundo, não teríamos até os dias de hoje contado átomos suficientes para cobrir a cabeça de um alfinete ou tapar o furo de uma agulha de coser.
           Já a Química Atômica ou Física Nuclear nos ensinam que o átomo é formado de um núcleo central, formado de protons e neutrons, carregado de cargas elétricas positiva em torno do qual orbitam os elétrons com igual carga elétrica, mas negativa. O átomo é, portanto, eletricamente neutro.
           O número de protons no núcleo atômico é igual ao número de elétrons da periferia. Diz a ciência dos homens: O número de neutrons sofre variações, normalmente para mais. O neutron tem, como o proton, massa, mas não possui carga elétrica.
           A massa do átomo se concentra praticamente no seu núcleo que é muito pequeno em relação ao volume do próprio átomo. Isto "ME" permite dizer que o eletron não existe devido a sua insiginificância material, é só uma "interação" (resultado de uma teoria) que age muito longe do núcleo em orbital mais ou menos "esférica" e que entre esta interação e o núcleo átômico nada existe _ é vácuo absoluto; vácuo que o homem nunca conseguirá obter com sua tecnologia, com suas máquinas.
            Se o elétron não existe, o elétron pensante sendo um elétron não existe. É apenas energia pura, energia sem matéria.
        Partindo do prícipio que o elétron não existe, o elétron pensante, também, não existe e por simples dedução eu não existo. Sou apenas uma máquina que vive para comer e como para viver, mas um dia vou parar de comer e vou morrer.
        Porém, analisando melhor a teoria átomica, com auxílio da Tabela Periódica dos Elementos Químicos e começando pelo átomo de Hidrogênio, o elemento mais simples e mais abundante no Universo, mas que praticamentenão existe na terra, cujo núcleo atômico é formado por apenas "1" próton em torno do qual orbita um elétron e usando de uma máquina de bombear de ficção científica: vamos dar bomba neste átomo de Hidrogênio. Vamos fazê-lo crescer até que o seu núcleo, no caso somente "1" proton (o nucleo de hidrogênio não possui neutron) fique do tamanho de uma bolinha de "gude" de um centímetro de diâmetro. Diz a ciência dos homens que se isso fosse possível poderíamos colocar essa bolinha de um centímetro de diâmetro no centro de um grande estádio de futebol e o seu elétron estaria orbitando lá entre os torcedores e devido a sua alta velocidade e efeito ondulatório estaria, ao mesmo tempo, em todos os lugares de uma superfície mais ou menos esférica, com mais de trezentos metros de diâmetro, em torno da bolinha de gude, e é claro não existiria .
           Mas na natureza a substância simples Hidrogênio é formada por moléculas diatômicas ou seja: cada molécula de Hidrogênio é formada de dois átomos do elemento químico Hidrogênio e eu ouso dizer (EU,HEM!) que nesta molécula existe apenas um eletron que chamarei aqui de elétron dois; ou seja um elétron, esta coisa que não existe, interagindo com dois núcleos atômicos (protons) ao mesmo tempo. Isto, é claro, devido a sua alta velocidade e efeito ondulatório.
           Seria o mesmo que acontece com o átomo de Hélio, o número dois da tabela periódica, Carga dois positivo no núcleo sendo orbitado por um elétron dois (ou seja: interação dupla).E assim o Lítio _ terceiro elemento com três prótons interação três; três vezes algo que não existe. Berílio elemento quatro, etc ... Urânio "92". Ou sejam todos os elementos, unidades básicas das substâncias simples e suas combinações na matéria. Ao se reunirem, formando  os diferentes compostos, seriam regidos por "UM" só eletron, o elétron pensante. eletron pensante até mesmo para substnacias que parecem não pensar (seres inanimados). Os eletrons a medida que se reunem, não se somam mas vão se integrando em uma unidade maior, mas sempre uma unidade, uma integração.
        Exemplificando: Um litro de água, um eletron, outro litro de água, ou outra quantidade qualquer, um eletron. Juntando se essas quantidades (um eletron mais um outro eletron é igual a um eletron), mas com uma interação mais forte, uma integração. Um oceano, um eletron com uma interação muito forte que interage com todo o oceano, interação infinita. Vamos construir uma barreira no meio do oceano para termos dois oceanos e passamos a ter dois eletrons, duas interações infinitas _ uma para cada oceano.
            Agora vamos começar com a grande explosão: Explosão que segundo o astrônomo brasileiro Marcelo Glaiser não aconteceu, No começo do universo e do tempo, no momento zero, havia somente um eletron (uma interação. muito forte, absoluta _ integração de infinitos) que estava em todo lugar mas que não existia e nesse lugar nenhum de tempo zero, existia um proton de massa infinita e volume infinitésimo (volume zero - não existia) e "eis" que algo estranho, muito estranho, muito estranho mesmo, algo de uma outra ciência e de uma Matemática diferente  acontece.
            O eletron não soma, mas ele se divide. Aumenta  a sua interação diminuindo  em quantidade e diminui a sua interação aumentando em quantidade.  Uma outra matemática de um mundo diferente,
um mundo de outros padrões.  A grande  explosão, buracos negros, buracos brancos, espíritos. deuses Plutônio etc: eletron um, dois, três, infinito _ Eletron Absoluto _ Deus Elétron. 
            Eu sou apenas um eletron pensante, ou seja uma interação, uma coisa  que não existe. Talvez eu só penso que existo ou seja um elétron errante sem spim, sem órbita, sem nada.
            Deus é apenas uma integração de todos elétrosns. Uma integração de infinitos que não existem _ portanto Deus não existe. É o Absoluto.
           
                      AH DEUS NÃO EXISTE, MAS É BEM MAIOR DO QUE EU JULGAVA.
      .
             Dizem alguns estudiosos que os protons e os neutros são pacotes de energia, ou seja, assim como os elétrons são formados de coisas que não existem.  É, apenas, energia condensada, energia pura _  energia sem matéria. Quando a tecnologia do homem conseguir abrir um  proton, ou um neutron o resultado será: "pum", o pum do átomo; uma bomba atômica infinitesimal. Terámos ali, apenas, um eletron aprisionaado, algo que não existe. Quando se consegue apisionar algo que não existe, energia pura, temos energia concentrada (condensada) ou seja matéria, mas sempre  regida por um elétron livre, um elétron pensante.

            Notas:
            Dizem os sábios que o Universo veio do nada, mas não dizem o que é o nada.
           O nada é tudo o que vejo e tudo que vejo não é nada. 
           Tudo o que vejo não existe e tudo que existe eu não vejo.    
           Para concluir vamos lembrar um sábio:
           Se a realidade fosse apenas uma ilusão; Se as ilusões fossem a verdadeira realidade. _ Carlos Arana Castañeda _  Antropólogo

           Livre para pensar